Câmara Municipal de Cristiano Otoni

Inicial Informações Paisagens Legislação Portal da Transparência Fale conosco
Portal Interlegis - Comunidade Legislativa na Internet

 


 

Voltar

 

Curiosidades

 

Futebol

 

Campo do “Vermelhão”

               O terreno situado no Bairro Pinheiros, conhecido como campo do “Vermelhão”, fazia parte das terras que começavam na casa da sra. Maria Balbina, atravessava a estrada de rodagem que ligava Cristiano à localidade de Pinheiros, indo até uma moita de bambu dentro da grota onde dividia com Sebastião Martins, indo por esta até a divisa dos herdeiros de Manoel Henriques de Araújo. Este terreno, diziam que pertencia ao “Santo”, e depois o sr. Manoel Messias, ex-Prefeito de Cristiano Otoni, procurou legalizar, onde foi doado para muitos moradores. Depois, a Prefeitura construiu muitas moradias, mas na realidade, este terreno foi doado ao então Distrito de Christiano Ottoni pelo sr. José Bonifácio de Andrada e Silva, e sua esposa, sra. Corina Lafayette de Andrada, no ano de 1918, e aprovado pela Câmara de Queluz de Minas, no dia 11 de junho de 1918, de acordo com a documentação arquivada no Cartório de Notas e Registro Civil. O campo do “Vermelhão” foi muito utilizado pelo Christianense Foot Ball Club, que o adquiriu em 1952, e o trocou, em 1989, pelo seu atual campo, o Estádio "Geraldo Magella".

 

 

Christianense Foot Ball Club

               Em 21-04-1923 foi fundada em Cristiano Otoni uma agremiação esportiva com o nome de “Manoel Baeta Foot Ball Club”, cujo estatuto foi registrado em Cartório no dia 26-05-1923. O campo de futebol era no local onde hoje está o Centro de Saúde. Em 31-03-1925, por decisão da Assembléia Geral, esta agremiação passou a chamar-se “Christianense Foot Ball Club”, conforme registro datado de 22-05-1925.

                No princípio da década de 1940, o campo do Christianense Foot Ball Club era fechado, cercado com esteira de bambu (taquara). Nesta época, o Christianense estava no auge, e os principais times visitantes eram: o Meridional (profissional) e o Guarany (Lafaiete); o Esportivo (Congonhas); o Mineiro Palmira (Santos Dumont). Até uma partida com o júnior do Clube Atlético Mineiro foi realizada. A bilheteria era onde hoje está o início da Rua Manoel Messias, e quem vendia os ingressos era o Sr. Silvio Alves, tio do Sr. Celso Alves.

                O interessante é que, apesar da cerca com esteira de bambu, nunca houve depredação por parte de quem freqüentava o estádio; e foi assim por alguns anos até que se parou de cobrar ingressos, e os torcedores passaram a contribuir com o clube dentro do estádio, com a quantia que quisessem ou pudessem doar.

               Antes da metade do Século XX, lá pelos anos de 1939 a 1942 foi feita esta foto do Christianense F.C. em dia de treino no campo, que ficava perto da Matriz de Santo Antonio, no local onde, após alguns anos, o sr. Arthur José da Silva (Arthur Borges) construiu uma carpintaria e marcenaria. Como a foto já está deteriorada pelo tempo, os jogadores estão quase irreconhecíveis, e quase todos já são falecidos. Então, da esquerda para a direita, nós temos; em cima: Dedão (Oséias Schifini), Wilson Martins, Targino, Jair (da D. Lucília), Artur Moreira,Walter Rocha, Lulu (Luiz Alves), Magella (Geraldo Magella), Afonsinho, Waltério e Nelson (do sr. Lau). Em baixo: José Baêta, Comeria (Mário Segundo), York Zille, José Zille, Zé Mulata (José Fernandes Costa), Lió Martins (deitado na frente com a bola), Zé Bigode (José de Souza Alves), Joaquim Righ, Rui, Alípio Ferreira e Tiziu – este último jogou em time profissional.

               Em 25-11-1952, o Christianense F. C., por meio de seu Presidente João Paulino Pereira Lima, adquiriu, de Mariana Bibiana de Araújo, conforme Escritura, o terreno onde foi feito um campo de futebol, chamado “Campo do Vermelho”, ou “Vermelhão”, devido à cor da terra.

               Entre as conquistas do Christianense, destacamos o empate em 1 x 1 com a Seleção de C. Lafaiete, na década de 1970, jogando naquela cidade. O gol do Christianense foi marcado por Tadeu, e o time-base daquela época era o da foto abaixo:

Foto do Christianense Foot Ball Club do início da década de 1970. Em pé, da esquerda para a direita:

Santiago (técnico); João Luiz, Henrique, Waltinho, Tureca, Joaquim, Zé Boi, Paredão e Sr. Walter Zille (Presidente);

Agachados: David, Adilson, Tadeu, Marquinhos e Dequinha.

Participavam também do time: João Luiz, Lão, Wilson, Zé Odilon e Preto.

 

                Na foto abaixo uma das formações do time amador do Christianense Foot Ball Club, entre os anos de 1985 e 1986:

Em pé, da esquerda para a direita: Gato, João, Ênio, Amaral, Gerson e Wilsinho.

Agachados: Valtinho, Tuquinha, Zé Capeta, Zé Alberto, Tilico, Padre Oscar e Valtinho Peixoto.

 

                Em 15-09-1989, por intermédio de seus diretores (Antonio Jarbas de Souza Lima e José Alberto Zille), foi realizada a troca do terreno com o sr. Manoel de Oliveira Dutra, passando o Christianense a ser o proprietário do terreno onde hoje se encontra o seu campo, que tem o nome de “Estádio Geraldo Magella”, em homenagem a um de seus mais assíduos torcedores, que foi também jogador.

               Em 1998 foi viabilizado Convênio com a Assembléia Legislativa, que possibilitou a instalação do alambrado, melhorando consideravelmente as instalações do campo de futebol, oferecendo mais segurança e proporcionando a disputa de jogos de campeonatos regionais e municipais. Nos anos seguintes foi concluído o vestiário. Em 2012, também através de convênio com o Governo do Estado, foi inaugurada a iluminação.

               Atualmente o Christianense disputa os campeonatos municipais: de Várzea, com o time de Veteranos e o 3º Quadro; e Amador, com o 1º e 2º Quadros. Foi campeão das duas edições da Copa Cristiano Otoni (Amador): em 2003, com o Christianense A; e em 2004 com o Christianense B.

 

 

Central Futebol Clube

                Em 28-06-1969 foi fundado em Cristiano Otoni o Central Futebol Clube, pelos senhores: Joaquim de Oliveira, Hélio de Oliveira, Osvaldo Rodrigues Pereira, Joaquim Delfino e George Dutra. O nome desta agremiação esportiva foi devido ao seu campo de futebol estar ao lado da antiga “Estrada de Ferro Central do Brasil”, hoje Rua Bebiano José Vieira, no Bairro Soledade. O campo de futebol foi denominado de “Estádio Osvaldo Rodrigues Pereira”, em homenagem a um de seus fundadores. Destacamos também a atuação do Sr. José Marques, o “Tibira”, que muito contribuiu para as conquistas do clube. Entre os Títulos conquistados pelo Central F.C., destacamos: Campeonato de Cristiano Otoni e Copa Integração Regional, nas categorias: 3º Quadro, Aspirantes e Amador. Destacamos também o Vice-campeonato da Copa Lafaiete nas categorias 3º Quadro e Amador, e o Vice-campeonato da Copa Carandaí, categoria Amador. Nas fotos abaixo, os times que foram campeões da Copa Integração Regional, categorias Amador e Aspirante, respectivamente, em 22-11-1998:

Em pé: Milagroso (técnico), Crioulo, Dinei, Adriano Assis, Júlio César, Tininho, Lado, Bedeu, Emerson e César;

Agachados: D’Castro, Adriano Neto, Osmar, Totonho, Romero, Marcelo e Nem.

 

Em pé: Luís (técnico), Anderson, Lia, Marco Aurélio, Ronaldo, Nilton e Dinho;

Agachados: Zé Márcio, Marquinhos, Luís Carlos, Juninho, Baixinho e Wagner.

 

 

Associação Atlética Pinheiros

                Fundado no final da década de 1970, o Pinheiros já foi por diversas vezes campeão em torneios realizados na cidade. O nome do time faz referência ao Bairro Pinheiros, onde residem seus fundadores, e o clube realiza seus jogos, desde a época de sua fundação, no Estádio Geraldo Magela. Jogadores de todas as partes do Município já atuaram ou atuam no Pinheiros, cuja torcida sempre se faz presente nos jogos. Nos anos 80 teve formações marcantes, realizando clássicos memoráveis em partidas com os demais clubes da cidade e também de cidades vizinhas. No início da década de 2010 passou por um período de inatividade, retornando às atividades em 2018, e em 2019 participou da Taça Vertentes Metalúrgica, chegando às quartas-de-final.

 

Formação do Pinheiros em 2019 - Categoria Amador

 

Formação do Pinheiros em 2019 - Categoria Aspirante

 

Bandeira e camisa da torcida - Pinheiros 2019

 

 

Sucata Futebol Clube

                Na segunda metade da década de 1950, já próximo ao ano de 1960, existia um time de futebol com o nome de Sucata Futebol Clube. Foi fundado por elementos que diziam-se bons de bola; jogavam no campo do Christianense, e fizeram grandes partidas aqui em Cristiano Otoni e fora daqui, obtendo muitas vitórias; então outra turma fundou outro time com o nome de Munha, liderado pelo saudoso Pe. Santos. Os componentes do Sucata eram os da foto abaixo: Celso Alves (Careca), Paulo Borges (Mudo), Willian Magella (Balofo), Geraldo Borges, Odilon Ribeiro, Marinho Viola, Paulinho do Tunico, Hedson Damasceno (Repolho), Duarte, José Pedro (Grande) e José Márcio Magella.

 

Voltar

 


 

Inicial Informações Paisagens Legislação Portal da Transparência Fale conosco
Portal Interlegis - Comunidade Legislativa na Internet