CÂMARA MUNICIPAL DE CRISTIANO OTONI - MG

 

 


 

Voltar

 

Paisagens do Município

Construções da Ferrovia (E.F.C.B.)

 

Estação Ferroviária

Foto: Instituto Estrada Real

                Este é o prédio da antiga Estação Ferroviária da Estrada de Ferro Central do Brasil, desativada há vários anos, pelo motivo da transferência da ferrovia para outro local, sendo que o prédio atualmente pertencente ao Município e está tombado como Patrimônio Histórico e Cultural. Segundo informações dos moradores mais antigos, a Estação foi inaugurada no final do Século XIX, no ano de 1883, quando o Brasil ainda era governado pelo Imperador D. Pedro II. O nome dado à Estação foi uma homenagem ao Engenheiro Cristiano Benedicto Ottoni, que à época da construção da ferrovia aceitou o desafio de fazer a mesma subir a Serra da Mantiqueira e, após o término da construção recebeu esta homenagem com o nome da Estação. Na viagem inaugural da ferrovia, aqui esteve o Imperador D. Pedro II e toda sua Corte. Destacamos que foi a partir desta Estação que surgiu o povoado e depois o Município de Cristiano Otoni. O prédio está localizado à Praça José Abraão, esquina com Rua Manoel Domingos Baêta, no Centro da cidade.

 

Caixa d'Água

                Esta Caixa d’Água, localizada à Praça José Abraão, pertence ao conjunto arquitetônico compreendido entre a mesma e a antiga Estação Ferroviária, e também está tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural. Foi importada da Inglaterra, na época da construção da Estação e da Estrada de Ferro Central do Brasil, no final do Século XIX, e existe apenas mais um exemplar  idêntico no Brasil, no Estado do Rio de Janeiro. Era usada como reservatório de água para uso das composições férreas (máquinas a vapor) e está em perfeitas condições de uso. A captação da água é feita diretamente do córrego que nasce ao lado do Morro do Cruzeiro, passando por uma outra caixa que foi construída algum tempo depois, e chegando à caixa d’água antiga, que fica cheia constantemente. O excesso de água é escoado através de tubulação e lançado no Rio Paraopeba, próximo à ponte da Rua Joaquim Ribeiro de Castro.

 

Pontilhão da E.F.C.B.

               Este pontilhão sobre o Rio Paraopeba, foi construído à época da instalação da Estrada de Ferro Central do Brasil, no final do Século XIX. Sobre ele passaram muitas composições ferroviárias, e hoje o mesmo é utilizado para o tráfego de veículos e pedestres, fazendo a ligação da Rua Jair Vieira de Rezende com a Avenida Padre Humberto.

 

Voltar

 


 

Inicial

Informações

Curiosidades

Legislação

Portal da Transparência

Fale conosco

Portal Interlegis - Comunidade Legislativa na Internet